sexta-feira, 11 de julho de 2008

Acidente Vascular Cerebral - AVC

Conceição Castro, Enfermeira Especialista em Saúde Pública

DEFINIÇÃO
Os Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC) ocorrem quando há uma interrupção do aporte de sangue a uma área do cérebro. Pode surgir devido à obstrução de uma das artérias que irrigam o cérebro, denominando-se acidente vascular cerebral Isquémico ou pode ser provocado pela ruptura de uma artéria do cérebro e subsequente perda de sangue para os tecidos circundantes, designando-se acidente vascular cerebral Hemorrágico.
Privadas de sangue ou encharcadas em sangue as células nervosas morrem e libertam substâncias químicas que vão destruindo as células vizinhas provocando lesões cerebrais de graus variáveis.
As consequências do AVC variam, mas são frequentemente dramáticas para os doentes e suas famílias, pois originam deficits a vários níveis tais como na motricidade, na linguagem, nas emoções ou na memória, alterando o seu quotidiano. As alterações motoras caracterizam-se por paralisias completas ou parciais no hemicorpo oposto ao local da lesão que ocorreu no cérebro. O prognóstico depende do tipo de AVC, da área cerebral afectada, e da extensão das lesões.

INCIDENCIA
Embora se tenha verificado em Portugal um decréscimo de mortes por AVC, nos últimos anos, as taxas verificadas por doenças cérebro vasculares continuam a ser das mais elevadas na união europeia. Segundo o Plano Nacional de Saúde (2004-2010), as doenças Cérebro vasculares encontram-se entre as principais causas de morbilidade, invalidez e mortalidade em Portugal, sendo responsável por grande impacto a nível individual, social e económico.

FACTORES DE RISCO
Os factores de risco aumentam a probabilidade de AVC, mas, podem atenuar-se com tratamento médico ou mudanças nos estilos de vida. Quanto maior for o número de factores de riscos identificados, maior será a probabilidade de ocorrência de AVC.
Os principais factores de risco de AVC são: hipertensão arterial, aterosclerose (endurecimento das artérias por depósito de gordura nas suas paredes), diabetes Mellitus, colesterol elevado [níveis elevados de LDL (mau colesterol) e redução de HDL (bom colesterol) precipitam a formação de placas de aterosclerose], doenças cardíacas (arritmias, enfarte do miocárdio, e problemas nas válvulas cardíacas), o uso de contraceptivos hormonais, obesidade, tabagismo, alcoolismo, sedentarismo, e a idade (a probabilidade de ocorrência de AVC aumenta com a idade).

PREVENÇÃO

A prevenção é o principal factor de combate ao aparecimento do AVC, esta é baseada no ataque aos factores de risco.
A adopção de uma vida saudável em que sejam banidos o tabaco, o excesso de álcool, as gorduras e açucares, e em que se faça exercício de forma regular, são determinantes nesta prevenção. Quando alguns factores já estão instalados, tais como, hipertensão arterial, diabetes ou colesterol, é fundamental a sua vigilância e controle.

1 comentário:

lms1956 disse...

956Nada como ver as barbas do vizinho a arder para desatar a gastar dinheiro em medicamentos, numa altura em que, se calhar, eles já pouco farão.
A saúde é como uma conta bancária: tratada e recheada dá mais confiança para o futuro. Mas prevenir...
LMS